A Mostra

SELECIONADOS da 8ª Mostra

Mostra Tum Tum divulga musicistas selecionados no edital de chamada pública

Espetáculos devem começar apenas no verão, em respeito às ações de combate à disseminação da Covid-19

A oitava temporada da Mostra Tum Tum terá 80% dos seus artistas selecionados por meio do edital de chamada pública aberto em abril. Das 10 atrações previstas, oito foram escolhidas dessa forma. A qualidade das inscrições alegrou a equipe da Tum Tum Produtora, que assina a realização ao lado do SESC Caxias do Sul. “Tivemos uma diversidade grande e uma qualidade alta nas inscrições, também motivadas pela inclusão da música vocal a partir deste ano. Dentro do universo de inscritos, buscamos selecionar novidades contemporâneas”, afirma o diretor artístico da Tum Tum, Beto Scopel.

Entre os oito selecionados (veja lista abaixo), há musicistas de quatro Estados brasileiros (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais e São Paulo) e um que atua no eixo Paraná-Paraguai. “A nossa previsão é ter 10 apresentações e optamos por escolher a maior parte dos artistas por meio do edital. Os palcos começam a recebê-los, provavelmente, apenas na Tum Tum de Verão”, explica a diretora executiva da Tum Tum Produtora, Juliana Pandolfo.

Tradicionalmente, essa etapa fecha a temporada, mas em função da pandemia do coronavírus, foi preciso rever os planos. A segurança dos músicos, da equipe e do público são a prioridade absoluta da Tum Tum, e o início dos shows será adiado pelo tempo que for necessário. A mostra está confirmada e tem recursos captados via Lei de Incentivo à Cultura (LIC) municipal e apoio cultural das empresas Metadados e Unimed Nordeste RS.

OS SELECIONADOS

Bia Nogueira (Minas Gerais)
Multiartista negra, representante da Nova MPB. Atua como cantora, atriz, compositora e produtora. Em 2018, lançou o CD Diversa, com composições próprias e da novíssima cena musical mineira.

Filipe Catto (Rio Grande do Sul)
Filipe Catto é um artista de palco. Desde o início de sua carreira, lança discos como um pretexto para estar diante do público, com a música fluindo em tempo real. O som se dinamiza na colagem de texturas sonoras, timbres eletrônicos e uma viagem pop/cigana com influências de indie rock e música brasileira.

Luê (São Paulo) 
Luê dá início a uma nova fase na carreira de Fernanda Martucci, trazendo novas influências ao conectar o Dub e o Reggae à música latina e eletrônica, especialmente com a presença da rabeca e dos sons da região Norte do Brasil. Estes, marcantes no início da sua trajetória.

María Betania Trio (Paraguai/Paraná)
No Trio, Maria Betania Hernandez, multi-instrumentista venezuelana, apresenta músicas de raiz latinoamericana, passando pelo jjoropo venezuelano, o festejo peruano, a polka paraguaia, a zamba argentina e, claro, a MPB brasileira.

Pedra Branca (São Paulo)
O grupo Pedra Branca faz música do mundo numa visão contemporânea e universal. Com quinze anos de existência, é um dos maiores nomes brasileiros da world music e o maior projeto de chillout brasileiro. Esse projeto visa trazer a música brasileira tocada em instrumentos e ritmos de vários lugares do mundo. 

Smoking Beats (Santa Catarina)
O afrobeat mescla as batidas do coração da percussão africana com o swing do jazz e do funk. Essa mistura soma-se à psicodelia brasileira e dá sonoridade à Smoking Beats, uma banda que toca afrobeat para dançar e ser feliz.

Syon (Rio Grande do Sul)
A Syon oferece uma nova experiência de música e performance. O trio de produtores musicais formados pela academia internacional de música eletrônica cria remixes e novas versões de músicas do mundo e do funk brasileiro em formato live, com DJ, piano/sintetizador e percussão.

Triuna Mantra (Rio Grande do Sul)
Grupo musical formado por instrutores de yoga e terapeutas, com mantras, músicas transcendentais autorais e vivências meditativa sonoras. 

A Tum Tum Produtora completa 10 anos em 2020 tendo, entre seus objetivos, aproximar músicos e público. Nos sete anos de mostra, em que a Tum Tum trabalhava apenas com música instrumental, foram mais de 50 espetáculos e 30 mil pessoas impactadas.